Guerra do Paraguai 1864 – 1870

Guerra do Paraguai foi o maior conflito armado internacional ocorrido na América Latina, travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliance, composta pelo Império do Brasil, Argentina e Uruguai. A guerra se estendeu de dezembro de 1864 a março de 1870. A principal causa do conflito foi o choque de interesses entre Paraguai e Brasil na Guerra Civil Uruguaia em 1864.

Guerra do paraguai guerra do brasil guerra brasil e paraguai história do brasil triplice aliance

Contexto da Guerra do Paraguai

Para entendermos a Guerra do Paraguai é necessário avaliar o contexto geral dos quatro países naquela época:

Francisco Solano López, um dos diversos ditadores que comandaram o Paraguai, assumiu o governo em em 1862. Importante lembrar que os governos ditatoriais marcaram o Paraguai desde sua independência. Durante os governos dos López, o país passou por um pequeno processo de modernização dos meios militares.

Essa modernização dos meios militares foi realizada sobretudo a partir de negociações feitas com a Inglaterra, com a aquisição de armamentos e o envio de técnicos ao Paraguai para treinar os exércitos e desenvolver uma infraestrutura militar. Até as décadas passadas acreditava-se que a Guerra do Paraguai teria sido resultado do imperialismo inglês, mas hoje com a descoberta de novos documentos, entende-se que a Inglaterra não tinha interesse na região, durante a época.

Com o fortalecimento militar, o Paraguai buscava reforçar sua posição regional como terceira potência na América Latina e disputava territórios nas fronteiras com com Brasil e Argentina.

A Argentina, na época governada por Bartolomé Mitre, tinha com principal objetivo a consolidação de seu território, impedir maiores fragmentações territoriais e derrotar os rebeldes federalistas.

O Uruguai, por sua vez, vivia anos de turbulência por causa da guerra civil travada entre os grupos políticos blancos e colorados.

Já o Brasil buscava reforçar sua posição de potência e garantir a livre navegação da bacia platina. Em 1862 Solano estreitou suas relações com o movimento federalista que lutava contra o governo de Buenos Aires. Essa aproximação entre paraguaios e federalistas argentinos possibilitou a ligação do Paraguai com os blancos no Uruguai.

O Uruguai na época governado por Bernardo Berro, representante dos blancos, propiciava aos paraguaios a utilização do porto de Montevidéu como alternativa de acesso ao mar. Os blancos travavam uma guerra civil contra outro grupo político local os colorados, que por sua vez, tinham o apoio do governo argentino de Mitre.

Os colorados eram liberais e defensores do livre comércio e da livre navegação nos rios da região platina, assim como o governo brasileiro pois a navegação livre era vital para acessar o Mato Grosso.

A partir de 1863, o governo brasileiro, optou uma política de intervenção na Guerra Civil Uruguaia pelo lado dos colorados. A Argentina apoiou a intervenção, mas não se envolveu diretamente até então. Solano, não ficou feliz com a situação e deu um ultimato ao governo brasileiro, em agosto de 1864, para que este não interviesse nos assuntos uruguaios.

O governo brasileiro manteve sua posição e, em setembro do mesmo ano, invadiu o Uruguai. A invasão brasileira destituiu o governo blanco e colocou os colorados no poder com Venancio Flores.

O Paraguai aprisionou uma embarcação brasileira que navegava pelo rio Paraguai e invadiu o Mato Grosso em dezembro de 1864 como resposta ao movimento brasileiro.

A entrada da Argentina no conflito ocorreu quando as tropas paraguaias, invadiram o território argentino. Essa invasão aconteceu porque o presidente não autorizou a passagem das tropas paraguaias pelo território argentino. Com isso, Brasil, Argentina e Uruguai reuniram-se em uma aliança contra o governo paraguaio, chamada de Tríplice Aliance, dando inicio a Guerra do Paraguai.

Principais acontecimentos da Guerra do Paraguai

A ocupação paraguaia no Mato Grosso foi conduzida por 7.700 soldados, que derrotaram as forças de defesa dessa região. Esse território continuou sob posse paraguaia até meados de 1868.

Em seguida, as tropas paraguaias seguiram em direção ao Rio Grande do Sul e ao Uruguai, afim de socorrer os blancos que perderam a batalha contra o Brasil e colorados. Com proibição argentina do acesso ao Uruguai, Solano López declarou guerra à Argentina e invadiu Corrientes.

A ofensiva paraguaia no Rio Grande do Sul e em Corrientes foi um fracasso. As tropas paraguaias foram rapidamente cercadas por tropas adversárias, sendo forçadas à rendição ou retirada. A partir dessas derrotas o Paraguai assumiu uma posição defensiva recuando o exercito até a pontos estratégicos da fronteira.

Em junho de 1865, na Batalha Naval de Riachuelo, a Marinha brasileira alcançou a vitória que destruiu parte da frota naval paraguaia e assumiu o controle das águas platinas para a Tríplice Aliance, isolando o Paraguai da modernização e suprimentos provida pela Inglaterra.

Apesar dessa fragilidade paraguaia, a longa duração da guerra se dá por diversos motivos e dentre eles destacamos os principais:

  • O desentendimentos no comando dos exércitos da Tríplice Aliance
  • A geografia do território paraguaio

Entre os outros confrontos destacam-se as duas batalhas em Tuiuti, travadas em 1866 e 1867, ambas com vitória da Tríplice Aliance e a Batalha de Curupaiti, onde cerca de 4 a 9 mil soldados brasileiros perderam suas vidas, resultando na derrota da Tríplice Aliance.

A fase final da guerra foi marcada pelo esgotamento do Paraguai e pelas sucessivas derrotas, com destaque para a capitulação da fortaleza de Humaitá em 1868 e a invasão e o saque de Assunção em 1º de janeiro de 1869.

Nesse momento, o Paraguai já estava sob domínio de um governo provisório que declarou Solano um traidor da pátria. Em 1870, Solano foi morto por soldados brasileiros, finalizando a Guerra do Paraguai.

Guerra do paraguai guerra do brasil guerra brasil e paraguai história do brasil triplice aliance
Retrato de Francisco Solano, ditador paraguaio

Pós Guerra

As consequências no pós guerra para a Argentina resultaram na consolidação do território argentino e na derrota definitiva dos federalistas.

No Uruguai, o país saiu também consolidado, com a superação definitiva das disputas políticas entre blancos e colorados. 

Para o Brasil, a guerra gerou forte impacto na economia, o governo brasileiro saiu bastante endividado, em decorrência dos empréstimos feitos para financiar o conflito. Além disso, guerra também marcou o início da decadência da monarquia brasileira.

O Paraguai foi a nação mais prejudicada. Além das inúmeras vidas perdidas no conflito, o país só não perdeu mais territórios para a Argentina porque o governo brasileiro tratou de defender-lo afim de evitar o fortalecimento dos argentinos como potencia.

Estima-se que o saldo de mortos também tenha sido muito alto, sendo esse um dos episódios mais tristes da história do Brasil.

  • Uruguai: 3.120 mortos
  • Argentina: 18 mil mortos
  • Brasil: 50 mil mortos
  • Paraguai: 150 mil mortos

Hoje os quatro países vivem em harmonia e a rivalidade fica nos campos de futebol.

Guerra do paraguai guerra do brasil guerra brasil e paraguai história do brasil triplice aliance
Fronteira brasileira com o Paraguai

FAQ – Perguntas frequentes

O que foi a guerra do Paraguai?

Guerra do Paraguai foi o maior conflito armado internacional ocorrido na América Latina, travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliance, composta pelo Império do Brasil, Argentina e Uruguai. A guerra se estendeu de dezembro de 1864 a março de 1870. A principal causa do conflito foi o choque de interesses entre Paraguai e Brasil na Guerra Civil Uruguaia em 1864.

Se gostou do conteúdo, não deixe de compartilhar e de nos seguir nas redes sociais!

Deixe um comentário