Escolas literárias 2 em 1: Humanismo e Classicismo

O Humanismo e Classicismo são Escolas Literárias estudadas em conjunto por retratarem mais ou menos a mesma época e estarem intimamente ligadas ao movimento artístico Renascentismo. Ambas foram movimentos que consideravam que a humanidade deveria permanecer no centro do entendimento humano.

Entre as principais características do Classicismo, estão a busca pelo equilíbrio, pureza e rigor da forma, juntamente com a perfeição e o senso de proporção, o nome classicismo remete a busca de conceitos da Idade Antiga (gregos e romanos). Já o Humanismo, foi um movimento de transição entre a Idade Média e a Idade Moderna, ou entre o Trovadorismo e o Renascimento. Como o próprio nome já indica, esse período literário correspondeu a ideais filosóficos, morais e estéticos que valorizavam o ser humano, e assim como no Classicismo revisitava as características da Idade Antiga.

Você pode conferir outros temas relacionados a literatura aqui.

Humanismo e classicismo humanismo classicismo escolas literarias
O Humanismo e o Classicismo buscavam a idealização perfeita do humano presente na Idade Antiga

Humanismo

Por volta do século XIV, durante o período histórico que chamamos de Alta Idade Média, ocorreram algumas mudanças sociais e econômicas ligadas a critica do feudalismo e influencia da Igreja Católica, que contribuíram para o surgimento de novos conceitos que influenciaram a economia, a organização do poder e a produção artística e literária da época. O Humanismo surge como contra ponto a força da Igreja passando de uma visão teocêntrica (deus no centro) para uma visão antropocêntrica (homem no centro).

Contexto histórico

Com a decadência do feudalismo, e o surgimento de uma nova classe social burguesa, surgiram também cidades e o desejo de migração do campo para ambientes urbanos. Os burgueses antes meros serviçais, agora possuíam poder aquisitivo para competir com a nobreza pelo poder econômico e social. O ideal do “sangue azul” já não era tão valorizado.

Nesse momento também surgiu a expansão marítima, o desenvolvimento do comércio, o surgimento de pequenas indústrias e etc. Esses novos conceitos marcaram transição da mentalidade medieval para uma mentalidade moderna, marcada pelas revoluções industriais e francesa, protestantismo e novos modelos sociais e governamentais.

Em Portugal, o Humanismo estendeu-se entre 1434 a 1527 e teve como marco inicial a nomeação de Fernão Lopes como cronista-mor do Reino e, como marco de transição para o Renascimento.

Características

  • transição do teocentrismo para o antropocentrismo
  • cientificismo, apego a ciência
  • racionalidade, a razão antes da emoção
  • retomada do modelo clássico das culturas da Antiguidade
  • busca da beleza e da perfeição da Antiguidade
  • valorização do corpo humano e das emoções, deus é perfeito e deus criou o homem, logo o homem é perfeito

Principais obras

O período humanista possuía produções literárias que mesclavam características medievais e modernas, divididos em Poesia Palaciana, Prosa e Teatro:

  • Poesia Palaciana: proveniente das cantigas do Trovadorismo, possuía uma estrutura textual elaborada com a presença de redondilhas, ambiguidades, aliterações, assonâncias, figuras de linguagem, idealismo, sensualidade, métrica, ritmo e expressividade, feita para ser recitada dentro dos palácios
  • Prosa: era divida entre as crônicas historiográficas e as crônicas ficcionais (novelas de cavalaria), retratavam a vida real da nobreza ou histórias ficcionais provenientes do trovadorismo, porém adaptadas para a época
  • Teatro: Diferente da poesia e da prosa, o teatro humanista era um teatro popular e tinha como objetivo moralizar e criticar a sociedade. Ele era dividido entre autos farsas, sendo seu principal autor Gil Vicente, que garantiu o apelido para o modelo de Teatro Vicentino

Exemplo de Poesia Palaciana:

Meu amor tanto vos quero,

que deseja o coração

mil cousas contra a razão.

Porque, se vos não quisesse,

como poderia ter

desejo que me viesse

do que nunca pode ser?

Mas conquanto desespero,

e em mim tanta afeição,

que deseja o coração.

Aires Teles

Exemplo do teatro vicentino:

Ninguém: Que andas tu aí buscando?

Todo mundo: Mil cousas ando a buscar:
delas não posso achar,

porém ando porfiando
por quão bom é porfiar.

Ninguém: Como hás nome, cavaleiro?

Todo o Mundo: Eu hei nome Todo o Mundo
e meu tempo todo inteiro

sempre é buscar dinheiro
e sempre nisto me fundo.

Ninguém: Eu hei nome Ninguém,
e busco a consciência.

Belzebu: Esta é boa experiência:
Dinato, escreve isto bem.

Dinato: Que escreverei, companheiro?

Belzebu: Que ninguém busca consciência.

e todo o mundo dinheiro.

Gil Vicente
Humanismo e classicismo humanismo classicismo escolas literarias
O Homem Vitruviano se tornou um símbolo do Humanismo por retratar a perfeição simétrica do corpo humano

Classicismo

classicismo, movimento artístico surgido no contexto do Renascimento. Em Portugal, Luís Vaz de Camões e Sá de Miranda destacaram-se como os principais representantes do classicismo. O movimento buscava o retorno do clássico, isto é, revisitavam os ideias da Idade Antiga como referencia do belo e perfeito.

Contexto histórico 

O contexto histórico que propiciou o surgimento do Renascimento e consequentemente o Classicismo, foi marcado por uma série de acontecimentos, como as grandes navegações e os descobrimentos de novas terras, a formação dos Estados modernos e grandes reinos europeus, a Reforma Protestante, a Revolução Comercial, o fortalecimento da burguesia. Esse período histórico marcou o declínio da Idade Média, dando origem à Era Moderna.

interesse pela cultura clássica já vinha sido observado desde o final do século XIII, onde escritores e intelectuais, como Dante Alighieri, Petrarca e Boccaccio, todos humanistas, liam e traduziam autores latinos e gregos. Essas traduções eram responsáveis pela valorização da forma humana em seu esplendor físico e mental.

As transformações, iniciadas pelos humanistas, deram abertura para que gradualmente, criasse a ideologia ideal para o então surgimento do classicismo, com a valorização da realidade concreta e capacidade humana de dominar e transformar o mundo a sua volta.

Características

  • busca pelo equilíbrio
  • senso de pureza e rigor da forma
  • perfeição
  • senso de proporção
  • valorização da Antiguidade
  • rompimento com o Medieval
  • nacionalismo
  • versos decassílabos

Principais obras

O classicismo buscava valorizar temáticas neoplatônicas, vinculadas à concepção de amor teorizada por Platão na Grécia Antiga. Além disso, o contexto de navegações e de expansões territoriais vivido por Portugal no período do classicismo, tinha fortes características nacionalista, retratando os grandes feitos dos heróis em alto mar. Principais autores foram Sá de Miranda e Luís Vaz de Camões.

Este retrato vosso é o sinal
ao longe do que sois, por desamparo
destes olhos de cá, porque um tão claro
lume não pode ser vista mortal.

Quem tirou nunca o sol por natural?
Nem viu, se nuvens não fazem reparo,
em noite escura ao longe aceso um faro?
Agora se não vê, ora vê mal.

Para uns tais olhos, que ninguém espera
de face a face, gram remédio fora
acertar o pintor ver-vos sorrindo.

Mas inda assim não sei que ele fizera,
que a graça em vós não dorme em nenhuma hora.
Falando que fará? Que fará rindo?

Sá de Miranda

Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram:
Cesse tudo o que a Musa antígua canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

Luís Vaz de Camões

FAQ – Perguntas frequentes

O que é humanismo?

O Humanismo e Classicismo são Escolas Literárias estudadas em conjunto por retratarem mais ou menos a mesma época e estarem intimamente ligadas ao movimento artístico Renascentismo. Ambas foram movimentos que consideravam que a humanidade deveria permanecer no centro do entendimento humano. Por volta do século XIV, durante o período histórico que chamamos de Alta Idade Média, ocorreram algumas mudanças sociais e econômicas ligadas a critica do feudalismo e influencia da Igreja Católica, que contribuíram para o surgimento de novos conceitos que influenciaram a economia, a organização do poder e a produção artística e literária da época. O Humanismo surge como contra ponto a força da Igreja passando de uma visão teocêntrica (deus no centro) para uma visão antropocêntrica (homem no centro).

Qual o contexto histórico?

Com a decadência do feudalismo, e o surgimento de uma nova classe social burguesa, surgiram também cidades e o desejo de migração do campo para ambientes urbanos. Os burgueses antes meros serviçais, agora possuíam poder aquisitivo para competir com a nobreza pelo poder econômico e social. O ideal do “sangue azul” já não era tão valorizado.
Nesse momento também surgiu a expansão marítima, o desenvolvimento do comércio, o surgimento de pequenas indústrias e etc. Esses novos conceitos marcaram transição da mentalidade medieval para uma mentalidade moderna, marcada pelas revoluções industriais e francesa, protestantismo e novos modelos sociais e governamentais.
Em Portugal, o Humanismo estendeu-se entre 1434 a 1527 e teve como marco inicial a nomeação de Fernão Lopes como cronista-mor do Reino e, como marco de transição para o Renascimento.

Quais as características?

  • Transição do teocentrismo para o antropocentrismo, cientificismo, apego a ciência racionalidade, a razão antes da emoção retomada do modelo clássico das culturas da Antiguidade, busca da beleza e da perfeição da Antiguidade, valorização do corpo humano e das emoções, deus é perfeito e deus criou o homem, logo o homem é perfeito
  • O que é clacissismo?

    classicismo, movimento artístico surgido no contexto do Renascimento. Em Portugal, Luís Vaz de Camões e Sá de Miranda destacaram-se como os principais representantes do classicismo. O movimento buscava o retorno do clássico, isto é, revisitavam os ideias da Idade Antiga como referencia do belo e perfeito.

    Se gostou do conteúdo, não deixe de compartilhar e nos seguir nas redes sociais!

    Deixe um comentário