Entenda o que foi a Idade Média (476 d.C. a 1453)

A Idade Média foi um período da história geral que iniciado durante o século V, logo após a queda do Império Romano do Ocidente, e tem seu fim durante o século XV, após a conquista de Constantinopla pelo Império Turco-Otomano. Esse período foi marcado pela junção da herança romana, sobretudo, o catolicismo, com a cultura dos povos bárbaros.

Durante a Idade Média, a Igreja Católica (site oficial) se tornou uma instituição poderosa e influente não apenas na religião, mas em toda a sociedade medieval e governo. A Europa ocidental era principalmente rural e, devido ao sistema feudal, a riqueza era a terra, que se tornou símbolo de status e poder. A agricultura era a principal atividade econômica. Vamos falar sobre esse período histórico e, se ficar com alguma dúvida, é só deixar aí nos comentários.

Nomenclatura

A idade média é o período da história geral que se inicia no século v, logo após a queda do império romano do ocidente, e termina no século xv, com a conquista de constantinopla pelo império turco-otomano
Vitrais da Idade Média

Desde a queda do Império Romano do Ocidente até o século XV, a nomenclatura Idade Média era considerada como um termo pejorativo, retratada como se fosse um tipo de intervalo entre o esplendor da Antiguidade Clássica e a Idade Moderna, período de resgate da cultura idealizada pelos primeiros filósofos gregos e concretizada pelos romanos, e época das grandes mudanças europeias com incentivo a ciência.

A Idade Média também foi chamada de “Idade das Trevas”, uma vez que os pensadores da Idade Moderna, consideravam esse período como sendo um período regido pela ignorância e desprezo a ciência. O período medieval era tido como obscuro, tomado pelas crenças ditadas pela Igreja Católica, que desprezava o pensamento racional, e que não teve produções intelectuais de grande relevância.

Características da Idade Média

Como a Idade Média é um período extenso da história geral, seu estudo é dividido em duas partes:

  • Alta Idade Média (séc. V ao século X)
  • Baixa Idade Média (séc. X ao século XV)

Alta Idade Média

O período da Alta Idade Média corresponde à formação da Europa medieval até o seu apogeu, no século X. O período da Alta Idade Média foi marcado pela junção da herança romana com os costumes dos povos bárbaros. O temor pelas invasões barbaras que levaram a queda de Roma fez com que os habitantes das cidades buscassem refúgio e trabalho no campo, que marco o processo de ruralização da Europa.

Os reinos germânicos (bárbaros) se adaptaram aos costumes romanos, a Igreja Católica criou uma aliança com os reis e se tornou a grande ponte entre o mundo germânico e o mundo romano, o que caracterizou os principais marcos da idade média. Os povos bárbaros abandonaram suas antigas práticas religiosas e aderiram ao cristianismo. A fé cristã foi se expandindo pela Europa ocidental, reforçando o poder do papa, até que Império Carolíngio, no século VII, que a Igreja conseguiu consolidar o seu domínio como instituição. Foi durante o Império de Carlos Magno que houve uma grande doação de terras à Igreja.

Assim, começava a formação dos Estados Papais ou Estados pontifícios, com as grandes quantidades de terra que estavam sob o domínio do papa, foi formado um aglomerado de territórios, basicamente no centro da península Itálica, que se mantiveram como um estado independente entre os anos de 756 e 1870, sob a direta autoridade civil dos Papas, e cuja capital era Roma. 

Foi durante o império de carlos magno que houve uma grande doação de terras à igreja
Foi durante o Império de Carlos Magno que houve uma grande doação de terras à Igreja

Carlos Magno também promoveu a distribuição de terras aos senhores feudais, principal símbolo do sistema feudal, exigindo em troca a sua fidelidade e seu auxílio em caso de guerra. Desta forma, o rei teria menos obrigações, dividindo seu reino em várias porções governadas por pessoas de sua confiança.

A morde de Carlos Magno fez com que seus filhos não conseguiram manter a unidade do império, que acabou se dissolvendo, o que causou a descentralização do poder entre os senhores feudais.

Outra principal característica era que a sociedade medieval era estamental, ou seja, não possibilitava a ascensão social. Simbolizada por uma pirâmide social, no topo estava o clero, logo abaixo vinha a nobreza, e na base estavam os servos, os únicos que trabalhavam e sustentavam as classes de cima. Os servos trabalhavam na terra para o seu próprio sustento, de sua família e do seu senhor feudal em troca de moradia, proteção e a possibilidade de usar a terra para seu sustento.

A produção cultural da Alta Idade Média era concentrada nos mosteiros, onde armazenavam as produções da Antiguidade Clássica, e os monges copistas tinham a missão de copiar os textos antigos para que não se perdessem com o tempo. O acesso às bibliotecas dos mosteiros era restrito e o trabalho era manual.

Baixa Idade Média

O aumento populacional ocorrido a partir do ano 1000 foi motivado principalmente pela diminuição das guerras bárbaras. Por isso, esse ano ficou conhecido como “O ano da paz de Deus”. Esse aumento da população provocou mudanças na estrutura medieval e, mais tarde, essas mudanças levaram a sociedade à sua crise, no século XV.

O desgaste do conjunto de terras que ficavam antes em repousou começaram a acontecer devido a necessidade de produzir mais para uma população maior, o que gerou um colapso na agricultara. Desta forma, as áreas urbanas voltaram a ter movimentação. O comércio também voltou com atividade mais intensa por meio da troca de mercadorias.

Esse momento histórico foi marcado pelas Cruzadas, que começaram como movimento religioso, mas, com o passar do tempo se transformaram em expedições comerciais ao trazer as especiarias orientais para a Europa ocidental.

Essa movimentação Ocidente–Oriente fez retomar as navegações pelo mar Mediterrâneo, até então abandonadas por causa da ruralização da Europa e do domínio islâmico.

As universidades começaram a surgir durante o século XIII se tornaram locais de estudos e discussão livre de ideias. Isso fez com que os mosteiros perdessem sua hegemonia cultural. A moeda circulando com mais intensidade pela Europa por causa da volta às atividades comerciais passou a financiar a produção artística e intelectual.

A retomada do comércio garantiu o surgimento das feiras ao redor dos feudos e comercializavam os produtos vindos do Oriente, e também às margens das estradas para garantir a segurança das comitivas do comércio e a instalação de bancos para a troca de moedas. Isso gerou o aparecimento de uma nova classe social chamada burguesia.

Essas transformações no mundo medieval começaram a fazer a estrutura social entrar em colapso. A agricultura perdia espaço para o comércio, as ideias que eram dominadas pela Igreja circulavam livremente pelas universidades, a fé perdia espaço para a razão, e todo esse conjunto abria espaço para o surgimento da Idade Moderna, marcada pelo movimento iluminista, renascentista, por revoluções industriais, pelas revoluções francesas e a reforma protestante.

Sistema Feudal

feudalismo é uma das principais características da Idade Média. Nesse sistema social e econômico, as terras eram concedidas por um suserano ao seu vassalo em troca de fidelidade e ajuda militar. Os senhores feudais (vassalos dos reis) controlavam os feudos, e a mão de obra era servil. Os servos (vassalos dos senhores feudais) deveriam pagar impostos e trabalhar para os senhores e o clero em troca de moradia e proteção.

A atividade econômica feudal era a agricultura, e a produção atendia as demandas internas do feudo. A Igreja Católica exercia grande influência dentro dos feudos, onde aconteciam as cerimônias religiosas e os registros de nascimento, casamento e morte.

O sistema feudal
O sistema feudal

Crise do século XIV

 A crise do século XIV pode ser resumida em três palavras:

  • fome
  • peste
  • guerra

fome foi resultado da escassez de alimentos provocada pela redução da produção agrícola por causa de intemperes naturais, bem como pelo colapso causado pela produção excessiva para alimentar uma população maior.

Peste negra

Peste Negra, também conhecida por Peste Bubônica, é uma doença contagiosa que é espalhada pela secreção de indivíduos contaminados ou por via respiratória. A doença é causada por uma bactéria chamada de Yersinia pestis, encontrada em pulgas que ficam em ratos.

Alguns historiadores acreditam que a doença surgiu na Ásia Central. A Peste Negra teve contato com os europeus por meio de um conflito ocorrido em Caffa, que levou a contaminação para o território europeu, onde se estima que matou metade da população.

A epidemia da Peste Negra na Europa esta associadas às condições de higiene que os medievais mantinham, era comum a falta de saneamento básico (os indivíduos naquela época jogavam fezes na rua) e insalubridade, por isso a proliferação de ratos, pulgas e bactérias era extremamente propicia.

Além disso, nessa época também acreditava-se na ligação dos gatos a entidades malignas e bruxaria, por este motivo, o extermínio da população de gatos também facilitou o aparecimento desordenado de ratos.

A grande inquisição

A instituição denominada de Inqusitio haereticae pravitatis, mais conhecida como Inquisição, Grande Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício, foi criada pelo Papa Gregório IX, no ano 1233, que se preocupava com o crescimento de seitas religiosas. Desta forma, o Papa criou um órgão especial para investigar os suspeitos de heresia. Essa instituição era formada pelos tribunais da Igreja Católica que perseguiam, julgavam e puniam pessoas acusadas de se desviar de suas normas de conduta.

Ela teve duas versões: a medieval, nos séculos XIII e XIV, e a feroz Inquisição moderna.

A Inquisição Medieval atuava na Itália, na França, na Alemanha e em Portugal, e possuia penas mais brandas – a mais comum era a excomunhão -, no entanto, a tortura já era autorizada pelo papa para arrancar confissões.

Já a Inquisição Moderna surgiu com toda força na Espanha com o alvo principal em judeus e os cristãos-novos, como eram chamados os recém-convertidos ao Catolicismo, que acusados de continuarem praticando o Judaísmo secretamente. Todos aqueles que praticassem atos alheios a fé cristã corriam o risco de serem condenados. Neste contexto eram inseridos por exemplo, o hábito de tomar banho com frequência, o conhecimento em ervas e chás medicinais, não fazer consumo de carne de porco, etc.

As punições tornaram-se bem mais pesadas com a instituição da morte na fogueira, da prisão perpétua e do confisco de bens. A migração de judeus expulsos da Espanha para Portugal fez com que a perseguição se repetisse com a criação do Santo Ofício lusitano.

Fim da Idade Média

As mudanças da Baixa Idade Média levaram a Europa ocidental à crise, levando a uma série de acontecimentos, tais quais a  centralização do poder nas mãos dos reis que reduziu os poderes do senhor feudal, além disso, os reis questionavam a influência do poder do papa nas decisões políticas levando a criação de um Estado Laico, e muitos outros acontecimentos, que deram início à formação dos estados nacionais, decretando-se o fim da Idade Média e o início da Idade Moderna.

FAQ – Perguntas frequentes

O que foi a Idade Média?

A Idade Média foi um período da história geral que iniciado durante o século V, logo após a queda do Império Romano do Ocidente, e tem seu fim durante o século XV, após a conquista de Constantinopla pelo Império Turco-Otomano. Esse período foi marcado pela junção da herança romana, sobretudo, o catolicismo, com a cultura dos povos bárbaros.

Porque a Idade Média é chamada de Idade das Trevas?

Desde a queda do Império Romano do Ocidente até o século XV, a nomenclatura Idade Média era considerada como um termo pejorativo, retratada como se fosse um tipo de intervalo entre o esplendor da Antiguidade Clássica e a Idade Moderna, período de resgate da cultura idealizada pelos primeiros filósofos gregos e concretizada pelos romanos, e época das grandes mudanças europeias com incentivo a ciência.
A Idade Média também foi chamada de “Idade das Trevas”, uma vez que os pensadores da Idade Moderna, consideravam esse período como sendo um período regido pela ignorância e desprezo a ciência. O período medieval era tido como obscuro, tomado pelas crenças ditadas pela Igreja Católica, que desprezava o pensamento racional, e que não teve produções intelectuais de grande relevância.

O que é a Alta Idade Média?

O período da Alta Idade Média corresponde à formação da Europa medieval até o seu apogeu, no século X. O período da Alta Idade Média foi marcado pela junção da herança romana com os costumes dos povos bárbaros. O temor pelas invasões barbaras que levaram a queda de Roma fez com que os habitantes das cidades buscassem refúgio e trabalho no campo, que marco o processo de ruralização da Europa.

O que é a Baixa Idade Média?

Período caracterizado pelo aumento populacional ocorrido a partir do ano 1000, motivado principalmente pela diminuição das guerras bárbaras. Por isso, esse ano ficou conhecido como “O ano da paz de Deus”. Esse aumento da população provocou mudanças na estrutura medieval e, mais tarde, essas mudanças levaram a sociedade à sua crise, no século XV. O desgaste do conjunto de terras que ficavam antes em repousou começaram a acontecer devido a necessidade de produzir mais para uma população maior, o que gerou um colapso na agricultara. Desta forma, as áreas urbanas voltaram a ter movimentação. O comércio também voltou com atividade mais intensa por meio da troca de mercadorias, levando ao aparecimento da burguesia.

O que é Sistema Feudal?

feudalismo é uma das principais características da Idade Média. Nesse sistema social e econômico, as terras eram concedidas por um suserano ao seu vassalo em troca de fidelidade e ajuda militar. Os senhores feudais (vassalos dos reis) controlavam os feudos, e a mão de obra era servil. Os servos (vassalos dos senhores feudais) deveriam pagar impostos e trabalhar para os senhores e o clero em troca de moradia e proteção.
A atividade econômica feudal era a agricultura, e a produção atendia as demandas internas do feudo. A Igreja Católica exercia grande influência dentro dos feudos, onde aconteciam as cerimônias religiosas e os registros de nascimento, casamento e morte.

O que causou a crise na Idade Média?

 A crise do século XIV pode ser resumida em três palavras:
fome
peste
guerra
fome foi resultado da escassez de alimentos provocada pela redução da produção agrícola por causa de intemperes naturais, bem como pelo colapso causado pela produção excessiva para alimentar uma população maior.

O que foi a peste negra?

Peste Negra, também conhecida por Peste Bubônica, é uma doença contagiosa que é espalhada pela secreção de indivíduos contaminados ou por via respiratória. A doença é causada por uma bactéria chamada de Yersinia pestis, encontrada em pulgas que ficam em ratos.

O que foi a grande inquisição?

A instituição denominada de Inqusitio haereticae pravitatis, mais conhecida como Inquisição, Grande Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício, foi criada pelo Papa Gregório IX, no ano 1233, que se preocupava com o crescimento de seitas religiosas. Desta forma, o Papa criou um órgão especial para investigar os suspeitos de heresia. Essa instituição era formada pelos tribunais da Igreja Católica que perseguiam, julgavam e puniam pessoas acusadas de se desviar de suas normas de conduta.

O que caracterizou o fim da Idade Média?

As mudanças da Baixa Idade Média levaram a Europa ocidental à crise, levando a uma série de acontecimentos, tais quais a  centralização do poder nas mãos dos reis que reduziu os poderes do senhor feudal, além disso, os reis questionavam a influência do poder do papa nas decisões políticas levando a criação de um Estado Laico, e muitos outros acontecimentos, que deram início à formação dos estados nacionais, decretando-se o fim da Idade Média e o início da Idade Moderna.

Gostou do conteúdo? Nos siga nas redes sociais para ficar por dentro de todos os assuntos. Fale conosco nos comentários e diga oque achou dessa matéria e aproveite para ler mais, como essa matéria sobre o Trovadorismo, no nosso site.

Deixe um comentário