Entenda o que foi o iluminismo

Iluminismo também conhecido como Século das Luzes foi um movimento intelectual e filosófico que dominou o mundo das ideias na Europa durante o século XVIII, “O Século da Filosofia”. Foi um contraponto às ideias medievais que eram chamadas de Século das Trevas.

Teve sua origem na França, e sua principal característica foi defender o uso da razão sobre o da fé para entender e solucionar os problemas da sociedade. Pregava maior liberdade econômica e política, grande parte das mudanças europeias que estudamos hoje tiveram origem com essa corrente de pensamento, tais quais as Revoluções Industriais, Revoluções Francesas, Expansão Marítima e Reforma Protestante.

Confira assuntos semelhantes aqui e aqui.

O iluminismo também conhecido como século das luzes foi um movimento intelectual e filosófico que dominou o mundo das ideias na europa durante o século xviii
Iluminismo também conhecido como Século das Luzes foi um movimento intelectual e filosófico que dominou o mundo das ideias na Europa durante o século XVIII

Iluminismo

Os iluministas acreditavam que poderiam reestruturar a sociedade do Antigo Regime, isto é, do período medieval. Defendiam o poder da razão em detrimento ao da fé e da religião e buscaram estender a crítica racional em todos os campos do saber humano, fazendo um contra ponto ao pensamento teocentrista.

Em suas obras, os pensadores iluministas argumentavam contra as determinações mercantilistas e religiosas. Também foram contrários ao absolutismo e aos privilégios dados à nobreza e ao clero, típicos do Regime Antigo.

O período foi marcado também pela publicação da Enciclopédia, que contou com a participação de vários expoentes iluministas como Montesquieu e Jean-Jacques Rousseau.

Os ideais iluministas difundiram principalmente entre a burguesia, que detinha a maior parte do poder econômico, mas não era nobre, portanto não possuíam poder político e ficavam sempre à margem das decisões.

Principais características

O iluminismo rejeitava a herança medieval e, por isso, passaram a chamar este período de “Idade das Trevas”, que trazia o conceito de que esse período foi marcado pela ignorância.

Política e Sociedade

Contrários ao Absolutismo, os iluministas afirmavam que o poder do rei deveria ser limitado por um conselho ou uma Constituição.

Montesquieu, por exemplo, defendia um modelo de Estado onde o governo estaria dividido em três poderes: sendo eles o Legislativo, Executivo e Judiciário. Assim, haveria equilíbrio e menos poder concentrado numa só pessoa, dificultando o risco de tirania e má gestão. Esta ideia de governo foi adota por quase todos os países do mundo ocidental, inclusive no Brasil.

Igualmente, a sociedade deveria ter mais direitos e os cidadão tratados de forma igualitária. Desta forma, todos deveriam pagar impostos e minorias, como os judeus, tinham que ser reconhecidos como cidadãos plenos. Durante o Antigo Regime, as minorias religiosas como judeus e muçulmanos, forma obrigados a se converter, caso contrario eram perseguidos e até mortos.

Religião

A religião foi muito criticada por vários pensadores iluministas. E foi nesse contexto histórico que, no que se diz respeito a sociedade europeia, que começou a ser levantada a distinção do Estado e Igreja. Eram defendidos a limitação dos privilégios do clero e da igreja; bem como o uso da ciência para questionar as doutrinas religiosas.

Déspotas esclarecidos

As ideias iluministas se espalharam rapidamente pela Europa, de modo que muitos governantes buscaram implantar medidas embasadas no iluminismo para modernizar seus respectivos Estados e evitar até mesmo a queda de sua monarquia.

Para isso, sem que os monarcas abdicassem de seu poder absoluto, passavam a conciliar seu governo aos interesses populares. Deste modo, estes governantes faziam parte do Despotismo Esclarecido, isto é, Reis Absolutistas “Iluminados” pelo conhecimento e bom senso.

Catarina ii, imperatriz russa e desposta esclarecida
Catarina II, imperatriz russa e desposta esclarecida

Importancia histórica do iluminismo

Os ideais iluministas tiveram sérias implicações sociopolíticas.

As revoluções na forma de pensar causaram grande impacto no rumo da história europeia, como por exemplo, o fim do colonialismo e do absolutismo e implantação do liberalismo econômico, bem como a liberdade religiosa.

Isso culminou em movimentos como a Revolução Francesa, Revoluções Industriais, Reforma Protestante, Expansão Marítima e muitos outros marcos que se tornaram símbolos da transição da Idade Média para Idade Moderna.

Principais pensadores iluministas

Montesquieu 

Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu, mais conhecido como Montesquieu, foi um político, filósofo e escritor francês. Famoso pela sua teoria da separação dos poderes, consagrada em grande parte dos países ocidentais atualmente, foi um dos mais importantes filósofos e pensadores do iluminismo francês.

Montesquieu é considerado um dos criadores da “Filosofia da História”.

Voltaire 

François-Marie Arouet, mais conhecido como Voltaire, foi um escritor e filósofo iluminista francês, ele acreditava que o ser humano deveria ser livre para expressar sua vida criativa, sem interferências de cunho moral e religioso.

Voltaire era contra o absolutismo e a favor da separação entre Igreja e Estado, ou seja, foi um dos primeiros defensores da ideia de Estado laico.

Rousseau

Jean-Jacques Rousseau, também conhecido como J.J. Rousseau, foi um importante filósofo, teórico político e escritor. É considerado um dos principais filósofos do iluminismo e um precursor do romantismo.

Rousseau ao lado de outros pensadores encabeçou as teorias contratualistas, na qual, Rousseau defendia que a liberdade natural do homem, seu bem-estar e sua segurança seriam preservados através do contrato social, e que o homem nasce bom e isento de maldade ou ganância, o que o corrompe é a sociedade bem como a propriedade privada.

John Locke 

John Locke foi um filósofo inglês conhecido como o “pai do liberalismo”, sendo considerado o principal representante do empirismo britânico e assim como Rousseau um dos teóricos do contratualismo. Locke ficou conhecido como o fundador do empirismo, além de defender a liberdade e a tolerância religiosa.

A filosofia política de Locke é baseada na noção de governo consentido, pelos governados, da autoridade constituída e o respeito ao direito natural do ser humano. De acordo com Locke todos os homens, ao nascerem, possuíam direitos naturais, eram eles: o direito à vida, à liberdade e à propriedade.

Confira mais sobre Rousseau e Locke em: Locke Hobbes Rousseau: Quais Os 3 Filósofos Contratualistas

Adam Smith 

Adam Smith foi um filósofo e economista britânico nascido na Escócia. É considerado o pai da economia moderna, e o mais importante teórico do liberalismo econômico.

Smith defendia a propriedade privada, a não intervenção do Estado na economia e a liberdade contratual entre patrões e empregados. Assim, o papel do Estado deveria ser apenas de manter a segurança pública e a ordem e garantir o direito de propriedade privada e as liberdades individuais das pessoas.

FAQ – Perguntas frequentes

O que é iluminismo?

Iluminismo também conhecido como Século das Luzes foi um movimento intelectual e filosófico que dominou o mundo das ideias na Europa durante o século XVIII, “O Século da Filosofia”. Foi um contraponto às ideias medievais que eram chamadas de Século das Trevas.

O que os iluministas defendiam?

Os iluministas acreditavam que poderiam reestruturar a sociedade do Antigo Regime, isto é, do período medieval. Defendiam o poder da razão em detrimento ao da fé e da religião e buscaram estender a crítica racional em todos os campos do saber humano, fazendo um contra ponto ao pensamento teocentrista.

Quem defendia o iluminismo?

Os ideais iluministas difundiram principalmente entre a burguesia, que detinha a maior parte do poder econômico, mas não era nobre, portanto não possuíam poder político e ficavam sempre à margem das decisões.

O que o iluminismo influenciou?

Pregava maior liberdade econômica e política, grande parte das mudanças europeias que estudamos hoje tiveram origem com essa corrente de pensamento, tais quais as Revoluções Industriais, Revoluções Francesas, Expansão Marítima e Reforma Protestante.

O que eram despostas esclarecidos?

As ideias iluministas se espalharam rapidamente pela Europa, de modo que muitos governantes buscaram implantar medidas embasadas no iluminismo para modernizar seus respectivos Estados e evitar até mesmo a queda de sua monarquia. Para isso, sem que os monarcas abdicassem de seu poder absoluto, passavam a conciliar seu governo aos interesses populares. Deste modo, estes governantes faziam parte do Despotismo Esclarecido, isto é, Reis Absolutistas “Iluminados” pelo conhecimento e bom senso.

Quais os principais pensadores iluministas?

  • Montesquieu (1689-1755), Voltaire (1694-1778), Diderot (1713-1784), D’Alembert (1717-1783), Rousseau (1712-1778), John Locke (1632-1704) e Adam Smith (1723-1790)
  • Como os iluministas viam a sociedade e política?

    Contrários ao Absolutismo, os iluministas afirmavam que o poder do rei deveria ser limitado por um conselho ou uma Constituição. Igualmente, a sociedade deveria ter mais direitos e os cidadão tratados de forma igualitária. Desta forma, todos deveriam pagar impostos e minorias, como os judeus, tinham que ser reconhecidos como cidadãos plenos. Durante o Antigo Regime, as minorias religiosas como judeus e muçulmanos, forma obrigados a se converter, caso contrario eram perseguidos e até mortos.

    Como os iluministas viam a religião?

    A religião foi muito criticada por vários pensadores iluministas. E foi nesse contexto histórico que, no que se diz respeito a sociedade europeia, que começou a ser levantada a distinção do Estado e Igreja. Eram defendidos a limitação dos privilégios do clero e da igreja; bem como o uso da ciência para questionar as doutrinas religiosas.

    Quais as consequências do pensamento iluminista?

    Os ideais iluministas tiveram sérias implicações sociopolíticas.
    As revoluções na forma de pensar causaram grande impacto no rumo da história europeia, como por exemplo, o fim do colonialismo e do absolutismo e implantação do liberalismo econômico, bem como a liberdade religiosa.
    Isso culminou em movimentos como a Revolução Francesa, Revoluções Industriais, Reforma Protestante, Expansão Marítima e muitos outros marcos que se tornaram símbolos da transição da Idade Média para Idade Moderna.

    Gostou do conteúdo? Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais para saber cada vez mais!

    Deixe um comentário