Entenda o que são as leis de Kepler em suas 3 partes

As leis de Kepler descrevem como ocorrem os movimentos dos planetas ao redor do Sol e de satélites ao redor de planetas. Criadas pelo astrônomo alemão Johannes Kepler (1571-1630). Kepler deduziu três leis que para explicar o movimento planetário e compreender como o universo é estruturado.

As leis de Kepler podem ser utilizadas para o estudo do movimento dos planetas ao redor do Sol e do movimento de satélites naturais e artificiais ao redor de planetas.

Leia Também:

Como Aprender As Leis De Newton De Maneira Simples
O que é Notação Científica
Entenda o Processo de Formação do Arco-íris
Entenda o Paradoxo dos Gêmeos
Entenda os Estudos da Óptica

Entenda as Leis de Kepler

1ª lei de Kepler – Lei das órbitas

As leis de Kepler são dividas em três, como dito anteriormente, sendo a primeira delas, a lei das órbitas.

A lei das órbitas conclui que a trajetória dos planetas ao redor do Sol ou a trajetória de satélites ao redor de planetas possui formato elíptico (oval) e o corpo que está sendo orbitado ocupa um dos focos da elipse.

No entanto, a primeira lei de Kepler não exclui a possibilidade de trajetórias circulares, já que a circunferência é um caso particular de elipse.

No caso da trajetória dos planetas ao redor do Sol, o ponto em que eles estão mais próximos da estrela é chamado de periélio, e o ponto de maior afastamento é denominado de afélio.

Entenda as leis de kepler - 1ª lei de kepler – lei das órbitas
Entenda as Leis de Kepler – 1ª lei de Kepler – Lei das órbitas

2ª lei de Kepler – Lei das áreas

No caso da segunda lei de Kepler, é concluído que a linha que liga o centro do Sol ao centro dos planetas “varre” áreas iguais em intervalos de tempo iguais.

Desta forma, podemos entender que a taxa de variação da área em função do tempo é constante para todos os planetas. Isso só é possível se as velocidades de translação dos planetas forem variáveis, devendo ser maiores na região de periélio e menores na região de afélio.

Entenda as leis de kepler - 2ª lei de kepler – lei das áreas
Entenda as Leis de Kepler – 2ª lei de Kepler – Lei das áreas

Você também pode se interessar

3ª lei de Kepler – Lei dos períodos

E por fim, a terceira lei de Kepler diz que o quadrado do período de revolução (T) dos planetas é diretamente proporcional ao cubo dos raios médios (R) de suas órbitas. Sendo assim, temos:

T²/R³

Entenda as leis de kepler - 3ª lei de kepler – lei dos períodos
Entenda as Leis de Kepler – 3ª lei de Kepler – Lei dos períodos

Essa constante depende da constante da gravitação universal (G = 6,7 x 10 – 11 N.m2/kg2) e da massa do corpo que está sendo orbitado.

No caso do nosso Sistema Solar, utilizando o período de revolução dos planetas em anos terrestres e o raio médio das órbitas em unidades astronômicas, o valor da constante para todos os planetas deve ser muito próximo de 1. Confira na tabela abaixo.

PLANETARAIO MÉDIO DA ÓRBITA (UA*)PERÍODOS EM ANOS TERRESTREST²/R³
Mercúrio0,3870,2411,002
Vênus0,7230,6151,001
Terra1,0001,0001,000
Marte1,5241,8811,000
Júpiter5,20311,8600,999
Saturno9,53929,4601,000
Urano19,19084,0100,999
Netuno30,060164,8001,000
*UA = Unidade astronômica – corresponde à distância média da Terra ao Sol

Fonte

FAQ – Perguntas frequentes

O que são as leis de Kepler?

As leis de Kepler descrevem como ocorrem os movimentos dos planetas ao redor do Sol e de satélites ao redor de planetas. Criadas pelo astrônomo alemão Johannes Kepler (1571-1630). Kepler deduziu três leis que para explicar o movimento planetário e compreender como o universo é estruturado.

O que diz a primeira lei de Kepler?

A lei das órbitas conclui que a trajetória dos planetas ao redor do Sol ou a trajetória de satélites ao redor de planetas possui formato elíptico (oval) e o corpo que está sendo orbitado ocupa um dos focos da elipse.

O que diz a segunda lei de Kepler?

No caso da segunda lei de Kepler, é concluído que a linha que liga o centro do Sol ao centro dos planetas “varre” áreas iguais em intervalos de tempo iguais.

O que diz a terceira lei de Kepler?

E por fim, a terceira lei de Kepler diz que o quadrado do período de revolução (T) dos planetas é diretamente proporcional ao cubo dos raios médios (R) de suas órbitas. Sendo assim, temos:
T²/R³

Gostou do conteúdo? Que tal dar uma olhadinha em outros assuntos?

Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais para ficar por dentro de tudo!

Deixe um comentário