O que é Realismo: Sua História e as Principais Obras no Brasil

O realismo literário é um movimento literário que representa a realidade ao retratar experiências mundanas e cotidianas como elas são na vida real. Ele retrata pessoas, lugares e histórias familiares, principalmente sobre as classes média e baixa da sociedade. O realismo literário procura contar uma história com a maior veracidade possível, em vez de dramatizá-la ou romantizá-la.

Esse movimento surgiu com a abolição da escravidão no Brasil e a proclamação da República, como uma forma de crítica a sociedade atual. A desigualdade social não poderia ser romantizada e era preciso mostrar a todos os problemas que aconteciam e isso era refletido nas obras de arte e literatura.

Alguns dos autores realistas mais proeminentes no mundo, como Mark Twain, e no Brasil, como Machado de Assis, são lembrados até os dias de hoje por suas principais obras como “As Aventuras de Huckleberry Finn”, que foi adaptada em filmes e séries, ou “Memórias Póstumas de Brás Cubas” que é um dos principais livros do ENEM em todas suas edições. Vamos falar sobre o Realismo e, se você ficar com dúvidas, é só deixar nos comentários.

Tipos de Realismo

Existem alguns tipos diferentes de realismo literário, cada um com suas próprias características distintas.

  • Realismo mágico: Um tipo de realismo que confunde as linhas entre fantasia e realidade. O realismo mágico retrata o mundo com veracidade e adiciona elementos mágicos que não são encontrados em nossa realidade, mas ainda são considerados normais no mundo em que a história se passa. “Cem Anos de Solidão” de Gabriel García Márquez (1967) é um romance de realismo mágico sobre um homem que inventa uma cidade de acordo com suas próprias percepções e em Memórias Póstumas de Brás Cubas ou narrador é uma pessoa morta.
  • Realismo social: Um tipo de realismo que se concentra nas vidas e condições de vida da classe trabalhadora e dos pobres. “Os Miseráveis” de Victor Hugo (1862) é um romance social sobre classe e política na França no início do século XIX.
  • Realismo da “pia da cozinha”: Um desdobramento do realismo social que se concentra na vida de jovens britânicos da classe trabalhadora que passam seu tempo livre bebendo em pubs. “Room at the Top”, de John Braine (1957 e adaptado para o filme “Almas em Leilão”), é um romance realista sobre uma jovem com grandes ambições que luta para realizar seus sonhos na Grã-Bretanha do pós-guerra.
  • Realismo socialista: Um tipo de realismo criado por Joseph Stalin e adotado pelos comunistas. O realismo socialista glorifica as lutas do proletariado. “Çimento” de Fyodor Gladkov (1925) é um romance socialista-realista sobre as lutas de reconstrução da União Soviética após a Revolução Russa.
  • Realismo psicológico: Um tipo de realismo direcionado ao personagem, focando no que os motiva a tomar certas decisões e por quê. O realismo psicológico às vezes usa personagens para expressar comentários sobre questões sociais ou políticas. “Crime e Castigo”, de Fyodor Dostoyevsky (1866), é um romance psicológico realista sobre um homem que traça um plano para matar um homem e pegar seu dinheiro para sair da pobreza – mas sente imensa culpa e paranoia depois de fazê-lo.

Qual é a história do Realismo?

O realismo literário faz parte do movimento de arte realista que começou na França do século XIX e durou até o início do século XX. Começou como uma reação ao romantismo do século XVIII e à ascensão da burguesia na Europa. As obras do romantismo foram consideradas muito exóticas e perderam contato com o mundo real.

Veja um pouco mais sobre o Realismo

As raízes do realismo literário estão na França, onde escritores realistas publicaram obras de realismo em romances e em folhetins em jornais. Os primeiros escritores realistas incluem Honoré de Balzac, que infundiu sua escrita com personagens complexos e observações detalhadas sobre a sociedade, e Gustave Flaubert, que estabeleceu a narração realista como a conhecemos hoje.

Nos EUA, o primeiro autor realista norte-americano foi William Dean Howells, conhecido por escrever romances sobre a vida da classe média. Outro realista norte-americano antigo foi Samuel Clemens (pseudônimo de Mark Twain), que foi o primeiro autor conhecido a vir do centro da América. Quando ele publicou “As aventuras de Huckleberry Finn” em 1884, foi a primeira vez que um romance capturou a vida e a voz distintas daquela parte do país.

Da mesma forma, o romance da Guerra Civil de Stephen Crane, de 1895, “O Emblema Vermelho da Coragem,” contou histórias reais, mas não contadas, da vida no campo de batalha. Essas histórias encorajaram mais escritores norte-americanos a usar suas vozes para falar a verdade sobre as condições reais de como era a vida, seja na guerra ou na pobreza.

O realismo literário também já existia, de alguma forma, na Inglaterra antes que o gênero fosse totalmente definido. Alguns críticos creditam os primeiros romancistas britânicos do realismo, como Daniel Defoe e Samuel Richardson, como realistas, porque escreveram sobre questões relacionadas à classe média.

Uma vez que o realismo tomou forma, George Eliot publicou “Middlemarch: Um Estudo da Vida Provinciana” em 1871, que é considerada a obra mais famosa do realismo literário vindo do Reino Unido. O gênero desenvolveu-se em paralelo com a nova classe média do Reino Unido e os autores aproveitaram a oportunidade para ecoar seus interesses e preocupações. Outros autores britânicos bem conhecidos do realismo incluem George Gissing, Arnold Bennett e George Moore.

Realismo no Brasil

Quando o Realismo surgiu no Brasil em 1881, o país passava pelo processo do abolicionismo, movimento que havia surgido na Europa e promovido o fim da escravidão brasileira em 1888. Paralelamente, em 1889, e do processo de independência do Brasil. É nesse cenário, influenciado pelo Positivismo, Socialismo e Marxismo, que se desenvolveu ao longo do século XIX, que o Realismo surgiu no Brasil.

O realismo no Brasil tem como foco o homem, seu cotidiano e a crítica social. Assim, por meio de uma linguagem simples e objetiva, as obras são ricas na descrição de detalhes – características que visam aproximar o leitor o mais possível da realidade. Assim, procura mostrar como a mentalidade romântica ilude as pessoas e como foi preciso dar espaço à ciência. As características do Realismo no Brasil são:

  • Inversão dos ideais do Romantismo;
  • Foco no homem e na sua vida diária;
  • Crítica social;
  • Linguagem simples e objetiva;
  • Personagens e ambientes descritos em detalhes.

Principais Autores do Realismo Brasileiro

O Realismo brasileiro foi um movimento literário que se desenvolveu durante o século XIX no Brasil, tendo como principal característica a representação objetiva da realidade social, política e psicológica. Os autores realistas buscavam retratar de forma fiel a sociedade e os costumes da época, com uma abordagem crítica e observadora.

Machado de Assis (1839-1908)

Considerado um dos maiores escritores da Literatura Brasileira, Machado de Assis foi também jornalista e crítico literário. Figura singular, um dos fundadores e diretor da Academia Brasileira de Letras, escreveu poesia, contos, crônicas, romances e teatro.

Marcada por temas sociais, críticas à burguesia e profunda análise psicológica dos personagens, sua prosa se divide em dois momentos: uma fase com a presença de características românticas, e outra marcadamente realista.

Machado de assis
Machado de Assis

Raul Pompeia (1863-1895)

Raul pompeia
Raul Pompeia

Jornalista, escritor e palestrante brasileiro, Raul Pompeia publica seu primeiro romance, Uma Tragédia no Amazonas, em 1880. O destaque dessa fase é seu romance intitulado O Ateneu (1888), primeiro publicado em folhetins e depois a obra completa.

Figura polêmica, esteve envolvido na campanha abolicionista e nas causas republicanas. Além disso, foi caluniado e afastado por seus amigos e, diante disso, suicidou-se em 25 de dezembro de 1895.

Aluísio Azevedo, Rodolfo Teófilo e Visconde de Taunay são Realistas?

Machado e Pompeia são os autores em cujas obras as características do realismo são marcantes. Além de ambos, no período realista Aluísio Azevedo, Rodolfo Teófilo e Visconde de Taunay carregam em algumas obras marcas realistas.

Aluísio Azevedo e Rodolfo Teófilo pertencem ao Naturalismo, considerado por alguns estudiosos como uma vertente do Realismo. Isso porque as duas escolas literárias apresentam semelhanças – principalmente no que diz respeito à representação da realidade e à inversão dos ideais românticos.

Já o Visconde de Taunay pertence ao romantismo. No entanto, sua obra mais proeminente, Inocência, combina características românticas e realistas. Para alguns críticos literários, Inocência marca a transição do autor de uma escola para outra.

Obras do Realismo Brasileiro

O realismo trouxe diversos autores e obras que são famosas até os dias de hoje e fazem parte da vida dos estudantes brasileiros, bem como são alguns dos livros mais cobrados do ENEM. Veja algumas das principais obras do realismo no Brasil:

Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis (1881): Clássico da literatura brasileira, Memórias Póstumas é a obra de maior destaque de Machado de Assis e a que inaugura o Realismo no Brasil. Isso porque se trata de uma obra ousada, a partir da qual se inicia o processo de inversão dos ideais românticos pelo desmascaramento de interesses presentes nas relações sociais.

Dividido em 160 capítulos, inicia-se com o relato da morte de seu narrador, Brás Cubas, o “autor falecido”, e mostra como sua vida foi uma sucessão de frustrações e planos não concretizados, alguns por outros fatores externos alheios a vontade do autor, mas muito devido a inação do próprio personagem.

Analise do filme de Memórias Póstumas de Brás Cubas

Dom Casmurro – Machado De Assis (1899): Mais uma obra incrível de Machado de Assis, Dom Casmurro trata da desconfiança na relação conjugal, contrapondo-se mais uma vez aos ideais do romantismo. Dom Casmurro aparece em 148 capítulos, que não são suficientes para revelar a dúvida sobre a traição de Capitu com Escobar.

Capitu é o amor da vida do narrador Bentinho, conhecido como “Dom Casmurro”; Escobar é seu melhor amigo. A trama gira em torno da amizade entre os personagens desde a infância e a desconfiança do narrador em relação a fidelidade de sua esposa.

Quincas Borba – Machado De Assis (1891): É com Quincas Borba que se completa a trilogia realista de Machado de Assis, obra em que o autor aborda a questão dos casamentos por interesse. Composta por 201 capítulos curtos, o narrador da obra é onisciente e às vezes até se comunica com o leitor. Após receber uma herança de seu amigo, Quincas Borba, Rubião se muda para o Rio de Janeiro, onde é explorado pelas pessoas a sua volta a ponto de enlouquecer e pensar ser Napoleão.

O Ateneu – Raul Pompeia (1888): Importante obra de realismo, que mostra a realidade de um internato por meio de descrições minuciosas, O Ateneu é uma crítica à sociedade. O livro, publicado inicialmente em folhetins, é composto por 12 capítulos, e pode ser considerado autobiográfico, pois fala de uma realidade vivenciada pelo próprio autor, que estudou em um internato.

Canções Sem Metro – Raul Pompeia (1900): Canções sem Metro é um livro em prosa poética e apesar de ter inaugurado esse tipo de expressão que combina os gêneros literários prosa e poesia – é uma obra que poucos conhecem e até vista por alguns como um fracasso de Pompeia.

Pompeia constrói cada um deles com base no ritmo natural da linguagem, como preconizado pela epígrafe de Paul Pierson. Emprega a eloquência como veículo e reflexo do sentimento e/ou ideias retratadas, e não lança mão de formas métricas nem de rimas. Ritmo e eloquência são, pois, o pilar de cada um dos 33 poemas.

FAQ Rápido

Quem é o autor realista mais famoso do Brasil?

Machado de Assis. Amplamente considerado como a maior figura literária brasileira de todos os tempos é Joaquim Maria Machado de Assis, geralmente conhecido apenas como Machado de Assis. Nasceu no Rio de Janeiro em 1839 e cresceu em uma família pobre, descendente de escravos libertos.

O que significa realismo na literatura?

A representação da realidade. Amplamente definido como “a representação da realidade”, o realismo nas artes é a tentativa de representar o assunto com veracidade, sem artificialidade e evitando convenções artísticas, bem como elementos implausíveis, exóticos e sobrenaturais.

Quais são as características da literatura realista?

O realismo é caracterizado pelo uso de personagens realistas em um enredo complicado. Os elementos do realismo incluem o foco em questões sociais, lutas da vida cotidiana, verdades da vida cotidiana e foco principalmente em pessoas de classe média e baixa.

Qual é a ideia principal do realismo?

O realismo é uma teoria que pretende explicar a realidade da política internacional. Ele enfatiza as restrições à política que resultam da natureza egoísta da humanidade e da ausência de uma autoridade central acima do estado.

Fale conosco nos comentários e diga oque achou dessa matéria e aproveite para ler mais notícias e estudar, como por exemplo, como fazer um bom texto narrativo, no nosso site.

Deixe um comentário