O que está acontecendo entre Ucrânia e Rússia? Embate histórico vem desde 1990

Se você é uma das pessoas que não está entendendo nada quando liga o jornal e assiste toda a tensão entre Ucrânia e Rússia, então da uma atenção aqui que vamos explicar tin tin por tin tin dessa tensão geopolítica que vem desde a Guerra Fria.

Para isso, vamos ter que dar uma relembrada sobre o que foi e o que aconteceu com a União Soviética:

Você também pode se interessar por:

Embate histórico

A tensão entre Rússia e Ucrânia aumentou significativamente nas últimas semanas, com o ápice acontecendo na segunda-feira (21), quando Vladimir Putin reconheceu a independência de dois territórios separatistas do território ucraniano.

Porém, a relação entre os dois países não é nova: eles têm uma história comum que remonta à Idade Média. Então, quando a Ucrânia pertenceu à Rússia e quando ela se separou?

Ambos os países têm raízes comuns no Estado eslavo oriental de Kievan Rus. É por isso que o presidente russo, Vladimir Putin, fala de russos e ucranianos como “um só povo”.

Porém, estes países avançaram separadamente durante séculos, o que proporcionou o surgimento de duas línguas e culturas. Enquanto a Rússia estava se tornando um império, a Ucrânia não conseguiu estabelecer seu próprio Estado.

O que está acontecendo entre ucrânia e rússia? Embate histórico vem desde 1990
O que está acontecendo entre Ucrânia e Rússia? Embate histórico vem desde 1990

No século 17, grandes áreas da atual Ucrânia tornaram-se parte do Império Russo, e os territórios foram reorganizados em províncias russas regulares administradas por governadores nomeados por São Petersburgo, de acordo com a Enciclopédia Britânica.

A partir de então até o século 20, a na época, União Soviética (URSS) realizaram um programa de “russificação” para desencorajar a identidade nacional ucraniana.

Após a Revolução Russa de 1917 e o final da Primeira Guerra Mundial, a Ucrânia tornou-se brevemente independente, até o início da década de 1920, quando se tornou parte da União Soviética.

Em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial, o país foi ocupado pela Alemanha, até que a União Soviética recuperou o controle do país em 1944 e expandiu suas fronteiras para incluir territórios tomados da Romênia, Polônia e Tchecoslováquia (atual República Tcheca).

Independência da Ucrânia

Foi no ano de 1991, quando a União Soviética foi dissolvida, esse grande território que ocupava foi dividido em 15 repúblicas independentes, dentre elas, a Ucrânia. Porém a vontade de ser independente já era anterior a isso, em julho de 1990 havia declarado sua soberania.

O Parlamento ucraniano declarou a independência, aguardando um referendo em 1º de dezembro de 1991, que foi aprovado com 90% dos votos. Assim, a Ucrânia adere à nova Comunidade de Estados Independentes, juntamente com a Rússia e a Bielorrússia.

A partir de então, a Ucrânia voltou seus olhos para a Europa e seu interesse em ingressar na Otan. Note que a Otan está envolvida na história desde os anos 1990.

O que está acontecendo entre ucrânia e rússia? Embate histórico vem desde 1990
O que está acontecendo entre Ucrânia e Rússia? Embate histórico vem desde 1990

Crise de 2013

As tensões entre esses dois países aumentaram novamente no final de 2013 devido a um histórico acordo político e comercial com a União Europeia. Depois que o então presidente pró-Rússia Viktor Yanukovych cancelou as negociações – aparentemente sob pressão de Moscou – protestos violentos eclodiram em Kiev por semanas.

Em março de 2014, a Rússia anexou a Crimeia, uma península autônoma no sul da Ucrânia com forte lealdade russa, sob o pretexto de que estava defendendo seus interesses e os dos cidadãos de língua russa. Os conflitos na fronteira leste da Ucrânia deixaram 14.000 mortos nesses sete anos. 

O que está acontecendo entre ucrânia e rússia? Embate histórico vem desde 1990
O que está acontecendo entre Ucrânia e Rússia? Embate histórico vem desde 1990

A crise atual

Após meses de aumento da presença militar ao longo da fronteira Rússia-Ucrânia, forças russas foram enviadas ao longo da fronteira com a Ucrânia para realizar uma invasão rápida e imediata, incluindo a construção de linhas de suprimentos, como unidades médicas e combustível.

Até hoje, mais de 100 mil soldados russos permaneceram reunidos na fronteira, apesar das advertências do presidente dos EUA, Joe Biden, e de líderes europeus sobre consequências terríveis se Putin prosseguir com uma invasão.

A Rússia nega planejar um ataque e argumenta que o apoio da Otan à Ucrânia – incluindo o aumento do fornecimento de armas e treinamento militar – constitui uma ameaça crescente no flanco ocidental da Rússia.

O que está acontecendo entre ucrânia e rússia? Embate histórico vem desde 1990
O que está acontecendo entre Ucrânia e Rússia? Embate histórico vem desde 1990

Fonte

Mas porque a Ucrânia?

A Ucrânia tem sido, desde o fim da Guerra Fria, uma fronteira entre a influência das democracias liberais da Europa e a Rússia. 

Por outro lado, a Otan e a União Europeia passaram a agregar nos anos 1990 e 2000 muitos países que eram zona de influência soviética na chamada Europa Central. Assim, países como Estônia, Letônia e Lituânia, República Tcheca, Hungria, Polônia, Eslovênia e Eslováquia se tornaram membros da união — a contragosto da Rússia.

No entanto, a Ucrânia ficou no meio do caminho. Diversos movimentos de aproximação com a União Europeia e a Otan foram feitos ao longo dos últimos anos, além dos protestos populares de 2013 e também em 2004. Não há, no entanto, uma visão coesa no país sobre esse movimento. Enquanto a porção oeste (onde fica a capital Kiev) anseia obter os padrões europeus, a parte leste ainda se vê mais próxima dos russos. Sendo assim, a Ucrânia também vive um conflito interno sobre o assunto.

O que está acontecendo entre ucrânia e rússia? Embate histórico vem desde 1990
O que está acontecendo entre Ucrânia e Rússia? Embate histórico vem desde 1990

Você também pode se interessar por:

E o que a Rússia quer?

A Rússia exige que a Otan pare sua expansão rumo aos países do leste, e acusa a aliança de estar “cercando a Rússia”, e também exige que a Otan não posicione tropas em territórios que não pertenciam à aliança em 1997. 

Além disso, a crise ucraniana virou agora teste para toda a política internacional, incluindo para a China, outra superpotência em rota de embate com os EUA. O resultado em Kiev mostrará o quanto as potências ocidentais estão dispostas a se arriscar para defender aliados como Taiwan (que se separou da China em 1959 e depende em grande parte da ajuda da Otan).

A China é a maior parceira comercial da Ucrânia e grande compradora de grãos e carne, de modo que interessa a Pequim uma estabilidade no país. Mas ao mesmo tempo, existe muita proximidade entre China e Rússia, ainda que não seja uma aliança militar formal.  

Aceitar as demandas russas poderia ser visto como um sinal de fraqueza das potências ocidentais. Outro risco é que o mesmo cenário da Crimeia possa se desenrolar em mais regiões do leste da Ucrânia.

Além disso, para o Ocidente, o temor é de que a Rússia possa não parar apenas na Ucrânia. Os membros da Otan que são partes da antiga zona de influência soviética ficam, também, sob risco. 

O que está acontecendo entre ucrânia e rússia? Embate histórico vem desde 1990
O que está acontecendo entre Ucrânia e Rússia? Embate histórico vem desde 1990

Fonte

O que o Brasil tem a ver com a Ucrânia e Rússia?

Basicamente, os Estados Unidos e a Otan esperam um posicionamento claro do Brasil em relação ao embate, pois acreditam que o conflito abalaria a política e economia do mundo inteiro. Já em 2014, o Brasil manteve-se distante da crise, defendendo a resolução de forma pacífica, mas sem escolher um lado. 

O mais provável hoje, é que o Brasil se posicione novamente de maneira neutra. Isso porque a Rússia é um dos maiores consumidores dos produtos do agronegócio brasileiro e essa é uma via de mão dupla, considerando que o Brasil importa muitos fertilizantes do país.

FAQ – Perguntas Frequentes

Putin ordenou mesmo uma invasão?

O presidente russo enviou as chamadas tropas de manutenção da paz, mas poucos acreditam que elas estão lá para manter a paz. O primeiro-ministro da Austrália diz que a ideia é absurda e um general ucraniano disse que está claro que se trata de tropas normais. O presidente americano, Joe Biden, alerta que o líder russo vai atacar “nos próximos dias” e as mais recentes imagens de satélite mostram forças russas posicionadas entre 15 e 30 quilômetros da fronteira.
Putin sempre alegou que não quer guerra e que está disposto a negociar. Mas sua atitude de encerrar os acordos de paz com a Ucrânia e reconhecer áreas separatistas como independentes inviabiliza quaisquer negociações.
Até agora, o presidente russo ameaçou “apropriadas medidas técnicas militares de retaliação” se suas exigências de “garantias de segurança” do Ocidente não forem atendidas. Putin disse que a Ucrânia será responsável por mais derramamento de sangue se o país não interromper as hostilidades.

Por que o reconhecimento de áreas rebeldes é perigoso?

Ao colocar tropas russas em uma área com centenas de violações diárias do cessar-fogo, o risco de uma guerra aberta se torna muito maior.
O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou o reconhecimento da independência da Rússia como uma violação da integridade territorial e da soberania da Ucrânia. O Ocidente diz que é uma violação do direito internacional.
Dois acordos de paz de Minsk de 2014-15 destinados a acabar com o conflito teriam dado aos rebeldes um status especial dentro da Ucrânia. Os acordos nunca foram cumpridos, mas as negociações ainda estavam em andamento, com França e Alemanha envolvidas nelas. Mas agora as negociações parecem ter fracassado.
A Rússia já havia preparado o terreno para o reconhecimento dos rebeldes, com acusações infundadas de que a Ucrânia havia cometido “genocídio” no Leste. A Rússia distribuiu cerca de 700 mil passaportes em áreas controladas por rebeldes, para que possa argumentar depois que qualquer ação militar terá como objetivo proteger seus próprios cidadãos.

O que é Otan?

A Otan foi criada ainda na Guerra Fria e tinha por objetivos inibir o avanço do bloco socialista no continente europeu, fazendo frente a União Soviética e seus aliados da Europa oriental e fornecer ajuda mútua a todos os países membros. Atualmente, esse contexto não existe mais, porém os objetivos pouco se alteraram desde sua fundação, em 1949. Segundo a própria organização, um dos objetivos principais da Otan é garantir a liberdade e a segurança dos seus membros por meios políticos e militares.

Fonte

Gostou do conteúdo? Que tal dar uma olhadinha em outros assuntos?

Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais para ficar por dentro de tudo!

Deixe um comentário